O projeto inicial era fazer a indicação de 3 livros na semana, só que não atingi um nível de organização suficiente para colocar em prática e eles se tornaram os 3 livros do mês.

A Estratégia do Oceano Azul

O primeiro é A Estratégia do Oceano Azul de  Renée Mauborgne e W. Chan Kim, publicado em 2005 pela  Harvard Business Review.

  • Como cheguei até ele:

Assistindo a série O Negócio que por acaso foi o tema do meu primeiro post no Helóra Almeida Curadoria (aqui). A série fala de uma prostituta que já está quase fora do mercado por causa da idade, então resolve explorar o Marketing para garantir seu sustento. Entre a bibliografia utilizada está ele, o livro indicado e que dá nome a agência que ela cria – a Oceano Azul.

  • Do que fala:

Estratégia de como explorar mercados inexplorados. Valendo-se da máxima que o mercado é um oceano vermelho manchado do sangue das lutas entre concorrentes, os autores demonstram o que é necessário para que você crie o seu oceano azul, ou seja, um mercado sem concorrentes. Utilizam como case de sucesso o Cirque Du Soleil que criou um conceito próprio para os seus espetáculos e até hoje domina a fatia criada por eles.

Cirque Du Soleil

  • O que eu acho:

Que é leitura obrigatória para quem quer trabalhar com produto, mercado, marketing e não ser mais um nadando e se afogando no oceano vermelho.

  • Quantas portinhas merece:

Prêmio máximo do Porta204, ou seja,  5 portinhas.porta_abrindo_4It- A Coisa

O segundo é It- A Coisa de Stephen King publicado em 1986, a edição que li é da Editora Suma das Letras de 2014.

  • Como cheguei até ele:

Minha mãe tinha em casa uma coleção de fitas de vídeos com filmes inspirados em grandes sucessos da literatura moderna, entre eles estavam Misery e o Iluminado. Assisti os dois, devia ter uns 12 anos, bastou para eu ter medo de Stephen King. Imagina que tipo de pessoa cria outras tão doidas? Medo mortal. Anos depois eu ganhei um exemplar de A Torre Negra, só que a pessoa que me presenteou não entendia nem de livros nem de Stephen King, então me deu o último. Me senti perdida porque nunca tinha lido os outros e abandonei antes da metade. Soma-se ao meu medo de King o meu pânico de palhaços, provável que nunquinha na vida eu fosse abrir esse livro, mas as opiniões dos amigos e família são muito positivas e eu dei uma chance para o Pennywise, o palhaço dançarino.

  • Do que fala:

Um menino é brutalmente assassinado por um dócil palhaço que carrega balões, dá-se inicio um ciclo de mortes na pequena cidade de Derry. O grupo mais improvável de heróis, garotos que sofrem bullying e são desprezados na escola, enfrentam a Coisa. Trinta anos depois, parece que Pennywise sentiu saudades da vizinhança e resolveu voltar, é hora de reunir nossos justiceiros para que dessa vez deem um fim definitivo ao legado de dança sanguinária do palhaço.

pennywise

  • O que eu acho:

Que se você é muito impressionável com violência e sobrenatural não deve ler. Porém, se for como eu e esta decidido a enfrentar o Pennywise que vive em seu bueiro, não deve perder a chance se explorar cada página como se fosse a última.

  • Quantas portinhas merece:

É Stephen King, baby! No quesito medo faltam portinhas, mas vamos dar 5 porque vai que o palhaço fique ofendido.

porta_abrindo_4

Objetos Cortantes

O terceiro e último é uma obra prima da loucura humana, Objetos Cortantes de Gillian Flynn de 2006, a edição que li é de 2015 publicada pela Editora Intrínseca.

  • Como cheguei até ele:

Pelo Ben Affleck rs quando noticiaram que ele seria o novo Bruce Wayne tínhamos opiniões diferentes a respeito da escolha no QG do Universo Realista. Meu marido começou a rever alguns filmes dele para dar suporte aos seus argumentos e chegou até Garota Exemplar. O filme ainda não tinha saído, então ele pegou o livro para entender o personagem que Affleck interpretaria e devorou em poucos dias. Pronto, estava desperta a minha curiosidade sobre a autora. Depois de Garota Exemplar e Lugares Escuros que também possui adaptação cinematográfica e falei deles em Sábado, chuva, Amy Exemplar e Libby Day, eu precisava desesperadamente de Objetos Cortantes. Ganhei do presente do marido, li ele em 2 noites.

  • Do que fala:

Camille Preaker é a jornalista responsável pela página policial de um jornal que não figura entre os maiores de Chicago. Acostumada ao lado negro da humanidade é enviada para sua cidade natal a fim de investigar crimes cometidos contra meninas e sem solução até o momento. Com o baixo orçamento, se vê obrigada a se hospedar na casa da família com quem uma relação bastante distante. Em busca da matéria que irá tornar seu jornal reconhecido e aumentar consideravelmente as vendagens, Camille se envolve fazendo às vezes de detetive, promotora e juíza dos acontecimentos em busca de desvendar as motivações e descobrir quem é o verdadeiro criminoso.

objetos cortantes

  • O que eu acho:

Gillian Flynn tem o dom da escrita pesada e polêmica, nada é politicamente correto. Sem pudores a respeito de assunto nenhum ela faz com que você se envolva e viva cada frase. Quando acha que já viu tudo, boom! Ela vem e lança no seu colo dezenas de questionamentos que fazem com que duvide de tudo que já foi lido te levando para um desfecho inesperado. Se você tem estomago e tolerância um pouco fracos para cenas e linguagens pesadas, esse não é o livro para ler.

  • Quantas portinhas merece:

Eu daria mil portas se pudesse, mas temos limites, então 5 portinhas para Objetos Cortantes.

porta_abrindo_4

Por hoje são esses pessoal, lendo muito e reunindo os melhores para indicar em novembro.

Espero que gostem!

Anúncios